Skip to content

“S. Darko –Um conto de Donnie Darko”, por João Ventura

19 julho, 2010

Atenção: O post abaixo está cheio de spoilers. Caso não queira saber de eventos-chave da (horrorosa) trama para não estragar o prazer ao assistir ao filme (acredite, você não o terá), deve evitá-lo. Penso assim em fazer um bem público, pois ninguém merece assistir uma porcaria dessas.

Bom, lendo o aviso acima, já deu que eu não gostei do filme (?). No restante do texto vamos aos pormenores disso e mostrar porque “S. Darko” é uma coisa que deve ser esquecida, enterrada para sempre.

Em primeiro lugar, tenho que dizer que o filme original Donnie Darko (Richard Kelly, 2001) é um dos melhores filmes que já vi. Uma excelente e sombria trama, com atores de qualidade, trilha sonora que cria o clima perfeito, ótima fotografia e, enfim, um filme que, quando chega ao final, você viu que ele foi redondinho, fechado, uma obra prima que obtém esse status porque, nas suas duas horas de duração, extraiu tudo o que poderia extrair, de forma magnífica e sublime. Tipo, se melhorar estraga, saca?

Pois é, mas os executivos responsáveis pelo estúdio acharam que Donnie não era uma obra prima e sim uma fonte para lucros futuros, dado o seu sucesso. Então, resolveram tentar tirar mais leite da vaca gorda. “Vamos fazer uma continuação!”, pensaram os infiéis. E aí, com a recusa (óbvia) de Richard Kelly e de boa parte do elenco atual, colocaram nas mãos de uns profissionais meia-boca e aconteceu o que todos já sabiam. A merda fedeu.

O filme conta a história de Samanhta Darko (o S. do título), irmã mais nova de Donnie que, no filme original, só tinha uma fala e nesse filme tornou-se a protagonista. Ela endoidou após a morte do irmão e fugiu do seu lar que, segundo os créditos iniciais, ruiu após a morte trágica de Donnie. Ela então viaja sem rumo com a amiga Corey, uma metida a alternativinha que só faz merda. As duas vão parar em uma cidadezinha no interior dos EUA que possui aqueles estereótipos de todo o filme:  o nerd, o playboy, o pastor, o dono do hotel, o doido…

E aí, preparem-se, cai um meteoro (sim, infelizmente) na cidadezinha, justamente no lugar onde Iraq Jack (o doido), costumava ficar sentado. Só que ele é salvo por, ninguém mais ninguém menos que o espírito de Samantha morta (???), que o livra da morte certa falando que o mundo vai acabar em quatro dias. Isso lembra alguma coisa?

Daí em diante, o filme é uma cópia muito mal feita de tudo o que aconteceu no filme anterior: Samantha é sonâmbula e acorda sempre longe da sua cama, seu espírito morto dá ordens a Iraq Jack para fazer coisas tipo, colocar fogo em uma igreja, Samanhta ainda sofre com a visão de um garoto morto, sua amiga,que nunca teve contato com o sobrenatural volta no tempo para salvá-la de um atropelamento, o pastor é pedófilo e, se preparem para o pior…

Numa das cenas mágicas, a Samantha morta ordena a Jack para que ele faça uma máscara de coelho!!!!! Sim, você leu certo, UMA MÁSCARA DE COELHO! E tem mais: ele é, nada mais nada menos do que o neto de Roberta Sparrow, a velha louca do primeiro filme! Uma forçação de barra sem dó nem piedade. Sem contar que, no final do filme, há uma chuva de meteoros que irá destruir a terra! É mole? E, além disso, o meteoro causa coceira nas pessoas? Para salvar o mundo, Jack aceita voltar no tempo e se sacrificar, morrendo no lugar onde caiu o primeiro meteoro. Original toda vida.

O que dá mais raiva são os depoimentos do diretor e roteirista nos extras. Os caras dizem que o filme original não é pra ser mexido, que consideram-no intocável, mas foram lá e fizeram essa porcaria. Eles não tem nem vergonha na cara em falar que “no original, Donnie se sacrificava para salvar o mundo”, tenha dó! Se disseram fãs mas simplesmente NÃO ENTENDERAM O FILME!

Enfim, esse filme é inútil porque, se a pessoa não viu o original, não entenderá nada, se viu, verá que cagaram com tudo. Se você é fã de Donnie Darko corra, mas corra muito. Depois não vai ter viagem no tempo que te salve de uma roubada dessas…

S. Darko (S. Darko A Donnie Darko Tale, DVD 2009 – 103 min)

Direção: Chris Fisher.
Roteiro: Nathan Atkins baseado nos personagens de Richard Kelly.
Elenco: Daveigh Chase, Briana Evigan, Elizabeth Berkley
Gênero: Suspense.

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. 19 julho, 2010 2:30 pm

    ok, corro com certeza! q horror…

  2. Carla Cardoso permalink
    21 julho, 2010 12:45 am

    Um samba do crioulo doido, realmente… ao entendi bulhufas… E olha que eu juro que tentei prestar atenção…

  3. Marcos Curvello permalink
    22 julho, 2010 7:12 pm

    Olha, vi um pavio em cima dessa bomba assim que foi anunciada. Só não entendo uma continuação para um filme cult. Esse povo quer captar e, convenhamos, Donnie Darko não e uma opção para isso. Podiam ter juntado mais um troco e feito outro Transformers. Garanto que ninguém ia se decepcionar com qualquer coisa que aparecesse na tela.

  4. 8 setembro, 2010 4:04 pm

    ** Realmente para aqueles que captaram a essência do primeiro filme e toda sua complexidade, assistir a S. Darko é um horror intelectual. Não tenho muito a comentar e só a concordar com o que escreveu, mas uma grave e “forçada” situação é como eles quiseram colocar a figura do coelho neste segundo filme… Putz!

  5. Jivago permalink
    1 janeiro, 2011 11:50 am

    Infelizmente resolvi este filme antes de ver esse seu magnifico post que resume totalmente o filme, pois bem, o filme é uma grande bosta mesmo, não aconselho ninguém a assistir, graças a deus colocaram no nome do filme “UMA HISTÓRIA DE DONNIE DARKO” e não insinuando que era realmente uma continuação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: